LOGIN

O intervalo

Mais importante do que o que está a acontecer, a realidade, é a forma como encaramos aquilo que está a acontecer ou a posição desde a qual decidimos observar o que está a acontecer.

Quem trabalha em Alta Performance entende facilmente que a realidade não é mais do que uma perceção dos acontecimentos e que ela difere bastante de pessoa para pessoa. Assim, é simples compreender que, durante o intervalo de um jogo, há diferentes realidades num balneário: o jogador que se autoavalia e não gosta da sua prestação individual, o jogador que entende que o resultado do momento se deve a erros de outros, o jogador que não está a conseguir manter os níveis de concentração e foco, o jogador que mantém viva a esperança de dar a volta ao resultado ou o jogador que acredita e que olha para os restantes minutos como uma eternidade onde tudo pode acontecer. Cada cabeça, sua sentença…

No meio de tudo isto há também um treinador com objetivos para cumprir, que entra no balneário e tem dez minutos para comunicar para realidades tão diferentes. O intervalo é um momento muito importante e o treinador tem uma tarefa que, embora desafiante, pode ser decisiva, fazendo a diferença entre ganhar ou perder um jogo. A COMUNICAÇÃO do treinador ao intervalo deve ser tão estudada e trabalhada como toda a estratégia de jogo. Um treinador deve saber exatamente o que dizer a cada circunstância, resultado e situação, tem de saber ativar cada um dos jogadores que tem à sua frente, tem de ter noção do impacto das suas palavras e como escolher a comunicação certa no momento certo. Este é o momento em que o treinador deve ‘servir’ a equipa e cada um dos seus jogadores, dando a cada um e ao grupo aquilo que precisam.

Para inverter um resultado, precisamos de mudar a estratégia de comunicação e isto é algo que deve fazer parte da preparação de um treinador. Em apenas dez minutos, tem de haver clareza para entender três coisas fundamentais: o que está a acontecer, o que quero que aconteça e o que preciso fazer para lá chegar! Comunicação é aquilo que mais falha, no futebol e em qualquer empresa. Por isso, é tão essencial, para quem lidera, desenvolver constantemente esta competência. Pode ser a diferença entre o sucesso e o insucesso de um treinador.

Susana Torres – Coach de Alta Performance