LOGIN

Foco no individual

O sucesso é mesmo uma questão de mentalidade e, por incrível que pareça, ter sucesso pode estar bem mais próximo do que muitos imaginam.

Muitas vezes me perguntam o que acontece com os jogadores que iniciam o trabalho de Coaching de Alta Performance, que os leva quase sempre a disparar nos resultados. Na verdade, não acontece apenas uma coisa, acontecem várias! Mas se eu tivesse de destacar aquilo que faz toda a diferença entre ter ou não ter resultados, então eu focar-me-ia numa única coisa, a que é mais importante e que, quase sempre, muda o rumo dos acontecimentos.

Frequentemente ouvimos os vários intervenientes do futebol dizer que, os interesses da equipa devem estar acima dos interesses do jogador, que a equipa é o mais importante, que não devemos sobrepor os interesses de um em detrimento dos interesses de todos, e eu não podia estar mais de acordo. Mas de que forma é que tudo isto molda o mindset de um jogador, ao ponto de o orientar para o sucesso em vez de o orientar para o fracasso? Esta é a questão com que me debato com frequência, e quase sempre verifico que, esta postura e este discurso não beneficiam a performance.

Ao contrário do que todos dizem, acredito que um jogador que quer ter sucesso acima da média, precisa colocar o foco em si próprio, e a atenção deve estar em melhorar as suas competências, nos seus objetivos individuais, na forma como vai criar impacto dentro de campo, na forma como influencia o contexto à sua volta e na forma como lida com os acontecimentos.

A atenção de um jogador deve estar 100% nele próprio. Porquê? Pois porque é a única coisa que ele pode controlar, é a única coisa que lhe vai trazer resultados, e é a única pessoa que ele pode mudar, sendo que, um excelente trabalho consigo mesmo, vai beneficiar toda a equipa.

Um jogador precisa de assumir 100% da responsabilidade pelos seus resultados, um jogador precisa entender que ele é a pessoa mais importante, o seu corpo é a máquina que deve estar afinada, que deve ter objetivos individuais e que estes devem estar alinhados com aquilo que são os objetivos da equipa. O princípio por detrás de tudo isto é o mesmo princípio de quando estamos perante uma situação de emergência num avião, primeiro colocas a máscara de oxigénio em ti, e só depois colocas nos outros, pois só assim podes garantir que estás em condições de ajudar mais alguém.

Por isso, os jogadores com quem trabalho, largam as desculpas, focam-se neles próprios, são agentes de mudança, criam impacto e constroem resultados.

Susana Torres – Coach de Alta Performance