LOGIN

A dificuldade de definir objetivos

“Definir objetivos é o primeiro passo para transformar o invisível em visível.” – Tony Robbins

Tal como o Tony Robbins, acredito que definir objetivos é um princípio essencial para atingirmos as nossas metas. Isto não significa que seja garantia de sucesso, mas é sem dúvida o começo para transformarmos os nossos sonhos em realidade.

No entanto, ao longo do meu trabalho como coach de alta performance, tenho observado que definir objetivos não é algo assim tão simples para muitos dos meus clientes, talvez também tu possas sentir exatamente isso.

Pode parecer estranho, mas é de facto bastante comum e pode acontecer pelas mais variadas razões.

Uma dessas razões é não saberem exatamente o que querem, pois estão demasiado imersas nos seus desafios (pessoais, profissionais, emocionais…) e têm dificuldade em ter uma visão mais clara e consciente das suas vidas e do que se está realmente a passar. Acontece também porque têm desafios em focarem-se naquilo que eventualmente as pode fazer seguir em frente, ou ainda porque anseiam metas que consideram demasiado ambiciosas tendo em conta o ponto em que estão.

Todas estas dificuldades acabam por afetar de forma bastante negativa a sua performance e até o seu dia a dia.

É por isso, por exemplo, que vemos muitas pessoas que vão trabalhar com um nó no estômago, desmotivadas, frustradas, estagnadas, cada vez mais imersas nos seus problemas e sem esperança e vontade de trabalhar.
Ainda não acederam a informação ou recursos que lhes permite saber fazer melhor, e dai surge a insegurança. Sentem-se perdidas, desorientadas.

É aqui que o coaching pode ajudar. E muito!

O coaching pode permitir-nos definir objetivos de uma forma clara e eficaz, ajudando-nos antes de mais, a perceber ou ter consciência de onde é que estamos (ponto A), onde queremos estar ou para onde queremos ir (ponto B) e o que podemos fazer para lá chegar.

Começando aqui, tudo é possível.

Depois de percebermos o nosso ponto A, é importante ter alguns pontos em consideração como por exemplo, se consideramos que estamos a colocar objetivos demasiado ambiciosos dentro das competências que temos (se nunca joguei futebol na vida não posso querer ser o melhor jogador do ano). Além de parecer demasiado ambicioso pode gerar grandes níveis de frustração. No entanto há metas mais curtas e um pouco menos ambiciosas que posso ir alcançando e que fazem com que tenha mais motivação para seguir em frente.

Como disse, dentro das nossas competências podemos sonhar alto, e aí, o impossível pode acontecer (desde de que acreditemos e trabalhemos para isso).

A única pessoa que nos pode impedir de sonhar verdadeiramente alto somos nós, quando acreditamos nas limitações que achamos que temos, ou que deixamos que outros nos imponham. E é por isso que creditar e garantir um compromisso são ingredientes chave para alcançarmos as nossas metas e realizarmos os nossos sonhos.

Mas sobre este último ingrediente falo-te num próximo episódio 😉

Até lá convido-te a fazer esta (tão poderosa) reflexão: Onde estás agora e para onde queres ir?

Até breve,

Susana Torres  –  Coach de Alta Performance